São Gabriel da Cachoeira é um município brasileiro do interior do estado do Amazonas, Região Norte do país. Localizado na fronteira com a Colômbia e Venezuela, no extremo noroeste do Brasil, o município também é conhecido como “Cabeça do Cachorro”, por seu território ter forma semelhante à da cabeça desse animal. De acordo com estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sua população era de 45 564 habitantes em 2018, fazendo deste o décimo-terceiro município mais populoso do estado. Em São Gabriel da Cachoeira, nove entre dez habitantes são indígenas, sendo o município com maior predominância de indígenas no Brasil.

A cidade também é conhecida por possuir cerca de 5,5 bilhões de toneladas de nióbio em sua região, sendo a maior reserva deste minério em todo o mundo de acordo com cabeça de tabira.

Em um caso inédito na federação brasileira, foram reconhecidas, como línguas oficiais no município, ao lado do português, três idiomas indígenas, após a aprovação da Lei Municipal 145, de 22 de novembro de 2002: o nheengatu, o tucano e o baníua, línguas tradicionais faladas pela maioria dos habitantes do município, dos quais 74% são indígenas. O município foi a primeira localidade brasileira a reconhecer outros idiomas como oficiais, além do português. Atualmente, São Gabriel da Cachoeira, Pomerode (em Santa Catarina) e Tacuru (em Mato Grosso do Sul) são os três únicos municípios brasileiros a possuir mais de um idioma oficial (Pomerode reconheceu o idioma alemão como co-oficial em seu território, enquanto que Tacuru reconheceu a língua guarani como cooficial). Em São Gabriel da Cachoeira, também há um projeto para reconhecer a língua ianomâmi como a quarta língua cooficial do município.

A extensão territorial de São Gabriel da Cachoeira é uma das maiores do país: 109 185 km², representando 6,9512% do território estadual, 2,8335% do território da Região Norte do Brasil e 1,2851% do território brasileiro.

Essa área é:

– maior do que cada um dos seguintes estados brasileiros: Santa Catarina, Paraíba, Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Alagoas e Sergipe;

– maior que a soma das áreas de Rio de Janeiro, Alagoas, Sergipe e Distrito Federal juntos;

– maior do que 92 países, dentre os quais Guatemala, Islândia, Coreia do Sul, Jordânia, Hungria, Portugal, Azerbaijão e Áustria.

Boa parte do seu território é abrangido pelo Parque Nacional do Pico da Neblina, além das terras indígenas de Alto Rio Negro, Médio Rio Negro I, II e III e Rio Tea, que juntas abrangem cerca de 80% do território municipal. A Terra Indígena Balaio, cujo relatório antropológico foi publicado no Diário Oficial da União, sobrepõe-se ao Parque Nacional do Pico da Neblina sob responsabilidade do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Terras indígenas do município: Alto Rio Negro, Balaio, Cué Cué/ Marabitanas, Amiúm, Médio Rio Negro I, Médio Rio Negro II, Rio Xié, Yanomami.

Anúncios