No momento de escolher um curso, os estudantes buscam a área que mais lhes agrada, entre ciências exatas, humanas, da saúde, jurídicas, e assim por diante. Porém, uma outra escolha é igualmente importante e, frequentemente, deixada de lado: a modalidade da graduação a ser realizada. É possível escolher entre bacharelado, licenciatura e cursos tecnológicos. Comecei o ano falando em cursos, educação a distância e eu sempre insisto que nunca é tarde para aprender algo novo ou melhorar no que já estamos envolvidos.

Eu estou fazendo um dos cursos do EV.G, uma proposta boa e gratuita ofertada pelo governo federal. Saiba mais aqui. E deixei dicas sobre o MedioTec, aqui em São Paulo já encampado pelo Centro Paula Souza nas ETECs do estado, para quem pensa em fazer um curso mais rápido que permita redefinir área de atuação. Muita gente pensa nas ETECs como escolas para adolescentes, mas os cursos de pós-médio são muito bons e, por funcionarem geralmente no turno da noite, atraem adultos de várias idades.

 

 
 
 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Tem famílias aí com filhos chegando no #EnsinoMédio? Eu tenho um que já está terminando o Médio e outro #calouro de #universidade #federal, ex-aluno de uma #ETEC paulistana. Eu mesma fiz curso técnico no ensino médio (CEFET-PR) e sempre recomendo essa modalidade para quem já sabe o que quer fazer depois ou, até, como foi no meu caso, para testar o que gosta e decidir se é o caminho certo. Se você mora em #SãoPaulo, como eu, pode ir acompanhando o trabalho do #CentroPaulaSouza (CPS), que cuida das #EscolasTécnicas Estaduais (Etecs). Neste ano, 33 Etecs passaram a ofertar o Ensino Médio com Habilitação Técnica Profissional (#MTec), onde o estudante cursa em um único período disciplinas da grade curricular comum e do curso técnico de escolha. No #Vestibulinho do primeiro semestre de 2018, os candidatos puderam optar entre #Administração, #Cozinha, #Hospedagem, #Logística, #Nutrição e #Dietética, #Programação de #JogosDigitais, #Química, #RecursosHumanos, #ServiçosJurídicos e #ServiçosPúblicos. São cursos de 2.800 a 3.000 horas, diluídas em três anos de estudo. Saiba mais no #postnoblog http://www.maecomfilhos.blog.br/2019/01/mtec.html (por @samegui) #maecomfilhos #mãedeadolescente #escola #escolapublica

Uma publicação compartilhada por Blog @maecomfilhos (@maecomfilhos) em

//www.instagram.com/embed.js Outro engano comum é pensar que são só cursos de auxiliar de escritório, modalidade que se popularizou até os anos 90 nas ETECs. Nos anos 2000, muitos novos cursos surgiram, e eu destaco o de Cozinha e Eventos, além dos ofertados nas novas ETECS da Zona Norte e da Zona Sul, que oferecem formação em Esportes e em Audiovisual. Para 2019, será inaugurada também a formação de nível médio em Linguagens, Ciências Humanas e Sociais. O modelo é dedicado ao estudante com inclinação para essas áreas do conhecimento, com preparação mais dedicada para o futuro no Ensino Superior.  Outro projeto em teste inicia com o ano letivo em 2019 em uma parceria inédita entre Etecs e Fatecs, baseada no modelo internacional P-Tech, a modalidade articulada é uma parceria com a IBM e consolida a meta institucional de estar cada vez mais perto do setor produtivo, afinando as formações profissionais com as necessidades dos mercados regionais.

Mas Sam, no título você falava na diferença entre bacharelado, licenciatura e curso tecnológico!

É verdade, vamos lá! Como fazer a escolha? Li um exemplo muito bom dado pelo reitor de um centro universitário (Uninter):

“Tomemos como exemplo uma pessoa que deseja atuar na área de Matemática e esteja buscando um curso em nossa instituição. Caso deseje ser professor, deve escolher a licenciatura. Já se busca uma formação ampla, que abra um grande leque de possibilidades profissionais, o melhor caminho é o do bacharelado. Por outro lado, se já sabe o caminho profissional que quer trilhar, pode buscar um curso tecnológico, que é mais específico – como Análise e Desenvolvimento de Sistemas”.

Veja a diferença:

  • Bacharelados: em geral, duram de 4 a 5 anos e preparam para todos os tipos de atividades ligadas à área escolhida – exceto docência. São indicados para pessoas com inclinação para a gestão ou realização de projetos e serviços para o mercado. Outra possibilidade é a carreira acadêmica.
  • Licenciaturas: habilitam os formandos para lecionar na educação básica, com duração de 3 ou 4 anos. Também abrem portas para tornarem-se pesquisadores, ou seja, seguir um percurso acadêmico.
  • Cursos tecnológicos: têm duração mais curta, de 2 a 3 anos. Ofertam conteúdos específicos para quem já sabe o que quer e onde vai atuar, ou então para quem já está inserido no mercado de trabalho e precisa de conhecimentos para progredir. Assim como os outros, permite que o graduado siga para uma pós-graduação, mestrado e doutorado.

Segundo o Censo da Educação Superior, divulgado pelo Ministério da Educação, 60,1% dos ingressantes optaram por bacharelado em 2017. Porém, a modalidade tecnológica foi a que mais cresceu no mesmo período, com uma variação positiva de 16,2%. Em segundo lugar estão as licenciaturas, com alta de 8,9%, seguidas pelos bacharelados, que cresceram 5,6%.

E se já é bacharel ou tecnólogo, mas deseja lecionar? Neste caso, há uma formação pedagógica, que (geralmente) prepara os profissionais para a docência em 16 meses. Os licenciados que desejam atuar em mais uma disciplina também contam com formação diferenciada: a segunda licenciatura, com duração de 12 meses.   Uma outra conversa super importante todo começo de ano, toda época de vestibular, ENEM, terceirão, é se a TODO MUNDO precisa mesmo fazer faculdade para ser feliz, realizado e útil para sociedade. Esse dilema é um tema do século XXI que a gente precisa enfrentar. https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fsamegui%2Fposts%2F10157019155043086&width=500