dbreen / Pixabay

Hoje acontece em São Paulo um encontro de apresentação das iniciativas selecionadas por meio de chamada de casos de inovação na agricultura familiar, que recebeu 68 inscrições de todo o País, das quais 14 foram selecionadas pelo Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV (FGVces), por meio de seu projeto Bota na Mesa, em parceria com o Citi e patrocinado pela Citi Foundation e pela Fundação Cargill,

Como nos anos anteriores, além de serem apresentados para um grupo de especialistas, as iniciativas serão narradas em uma publicação do projeto Bota Na Mesa.

https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2FFGVces%2Fposts%2F10156545104229549&width=500

Para selecionar os casos, pesquisadores do FGVces levaram em consideração o grau de inovação, a conexão com os temas prioritários do Bota na Mesa (relações de consumo, juventude na agricultura e infraestrutura e tecnologia), a contribuição para a inclusão da agricultura e o potencial de escala e replicabilidade.

A chamada de iniciativas inovadoras foi uma etapa do Bota na Mesa pensada para conectar o processo da construção das diretrizes a projetos que inovam em suas práticas e promovem a inclusão da agricultura familiar.

Conheça as 14 iniciativas selecionadas:

1. AGRICULTURA FAMILIAR E INDÍGENA NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

Apoio ao acesso de agricultores quilombolas e indígenas ao PNAE e consolidação de sua participação como forma de geração de renda por meio da agricultura familiar praticada por esses povos.

Organização proponente: Imaflora
Localidade: Oriximiná, Pará
Contato: Mateus Feitosa – mateus@imaflora.org.br

2. BATATA DA SALVAÇÃO

Sistema econômico de irrigação por capilaridade para utilização na produção de plantas frutíferas e hortaliças no Semiárido.

Organização proponente: Fundação de Apoio à Agricultura Familiar no Semiárido da Bahia (FATRES)
Localidade: Bahia
Contato: Sabrina Moraes – sabrina@fatres.org.br

3. ECOLUME

Projeto de pesquisa e desenvolvimento que integra métodos sinérgicos de segurança hídrica, energética e alimentar no convívio com o bioma da Caatinga, frente aos desafios impostos pelos efeitos das mudanças climáticas globais.

Organização proponente: Instituo Agronômico do Pernambuco (IPA)
Localidade: Ibimirim, Pernambuco
Contato: Francinete Lacerda – francis.lacerda@ipa.br

4. FRUTA IMPERFEITA

Startup que visa combater o desperdício de alimentos e a desigualdade no campo por meio da conscientização dos consumidores a respeito das frutas e legumes que não são comercializadas por estarem fora do padrão estético exigido pelas redes varejistas.

Organização proponente: Fruta Imperfeita
Localidade: São Paulo, São Paulo
Contato: Roberto Matsuda – parcerias@frutaimperfeita.com.br

5. INCLUSÃO DO MILHO GUARANI NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA

Inclusão do milho Guarani através da revitalização das sementes específicas para plantio, fixação à terra, colheita cerimonial e aquisição para preparações da alimentação escolar indígena.

Organização proponente: Prefeitura Municipal de Itanhaém
Localidade: Itanhaém, São Paulo
Contato: Luciana Costa – lueducita@yahoo.com.br

6. NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PARA A AGRICULTURA FAMILIAR – NITA

Articulação de ações para o desenvolvimento, oferta e adoção de tecnologias sustentáveis voltadas à melhoria da competitividade das atividades da agricultura familiar.

Organização proponente: NITA
Localidade: Santa Catarina
Contato: Ditmar Alfonso Zimath – secretaria@nita.org.br

7. PROGRAMA DE APOIO À COMERCIALIZAÇÃO DO PESCADO DA AGRICULTURA FAMILIAR NO TOCANTINS

Articulação de competências para promover a inserção do pescado da agricultura familiar nas políticas públicas de apoio à comercialização no estado, baseando-se em organização produtiva, inovação tecnológica, segurança alimentar e promoção de políticas públicas.

Organização proponente: Embrapa Tocantins
Localidade: Tocantins
Contato: Alexandre Freitas – alexandre.freitas@embrapa.br

8. PROGRAMA APRENDIZ COOPERATIVO DO CAMPO

Formação técnico-profissional para jovens de 14 a 24 anos para profissionalizar a gestão de pequenas e médias propriedades rurais, promover o empreendedorismo e proporcionar às cooperativas agropecuárias o incremento do quadro social.

Organização proponente: Serviço nacional de aprendizagem do cooperativismo do RS – SESCOOP/RS
Localidade: Rio Grande do Sul
Contato: Vergílio Frederico Périus – presidencia@ocergs.coop.br

9. PROJETO ASSENTAMENTOS SUSTENTÁVEIS NA AMAZÔNIA

Transformação da base produtiva dos assentamentos de reforma agrária da Amazônia, aumentando a rentabilidade das áreas já abertas e desta maneira contribuindo para a redução do desmatamento na região.

Organização proponente: Instituto Amazônico de Pesquisa Ambiental – IPAM
Localidade: Pará
Contato: Lucimar Souza – lucimarsouza@ipam.org.br

10. PROJETO ORA-PRO-NÓBIS

Desenvolvimento da cadeia produtiva do ora-pro-nóbis, gerando renda para os agricultores familiares e fornecendo para o consumidor uma alternativa de produto rico em proteínas, fibras, vitaminas e minerais.

Organização proponente: Proteios
Localidade: Paraná
Contato: Marcos Rochinski – comunicacao@proteios.com.br

11. QUINTAIS AGROFLORESTAIS

Ampliação de estratégias de acesso a mercados para cadeia de valor de polpas de frutas, a fim de fortalecer o protagonismo das mulheres e consolidar os sistemas agroflorestais.

Organização proponente: Associação das mulheres produtoras de polpas de frutas – AMPPF
Localidade: São Félix do Xingu, Pará
Contato: Elizangela Barros da Silva – amppfmulheres@gmail.com

12. REDE DE AGROECOLOGIA POVOS DA MATA

Espaço articulado e estruturado de interação entre a agricultura familiar e consumidores. É o primeiro Organismo Participativo de Avaliação da Conformidade (OPAC) do estado da Bahia que atua na certificação orgânica participativa dos produtos agrícolas e seus derivados.

Organização proponente: Associação Povos da Mata de Certificação Participativa
Localidade: Bahia
Contato: Tatiane Botelho – tatiane@povosdamata.org.br

13. VACA MÓVEL

Melhorar a qualidade do leite e as condições higiênico-sanitárias relacionadas à produção, por meio de ajustes de manejo e da introdução de técnicas de controle e monitoramento do leite. Carro equipado com laboratório voltado à análise do leite.

Organização proponente: Instituto Biosistêmico
Localidade: Já implementado em 16 estados brasileiros.
Contato: Luís Henrichsen – henrichsen@biosistemico.com.br

14. SUMÁ

Solução online que conecta agricultores familiares a compradores de alimentos.

Organização proponente: Bona Fides LTDA ME
Localidade: Balneário Camboriú, Santa Catarina
Contato: Alexandre Leripio – leripio@appsuma.com.br

Sobre o Bota na Mesa

Realizado pelo FGVces em parceria com o Citi e patrocinado pela Citi Foundation e Fundação Cargill, o projeto Bota na Mesa é uma iniciativa que busca incluir a agricultura familiar na cadeia de alimentos em grandes centros urbanos, considerando o comércio justo, a conservação ambiental e a segurança alimentar e nutricional. Com o projeto, o FGVces espera contribuir para que haja mais transparência nos relacionamentos e para que o papel social e ambiental do pequeno produtor esteja refletido em uma cadeia de alimentos mais justa e inclusiva.

Nos seus dois primeiros anos (2015 a 2017), o projeto Bota na Mesa trabalhou em campo com um grupo de nove cooperativas e associações de produtores de frutas, legumes e verduras, construindo e implementando com cada uma delas planos de ação para acessar novos canais de comercialização. Em seu terceiro ciclo de trabalho, o projeto muda sua atuação para levar as experiências acumuladas com os agricultores e sua busca por acesso a mercado para um grupo ampliado de atores da cadeia de alimentos. Em 2018, o objetivo do Bota na Mesa é construir e disseminar diretrizes públicas e empresariais para a inclusão da agricultura familiar, a partir de três temas prioritários: (1) relações de consumo; (2) juventude na agricultura; (3) infraestrutura e tecnologia.

Anúncios