O documentário Pagliacci, sobre os palhaços Fê e Duma (da Companhia La Mínima) e sobre os palhaços do Brasil, do mundo e de todas as épocas estreia hoje, nos cinemas.

É uma ótima oportunidade de você conhecer mais sobre este ofício tão antigo que resiste ao mundo moderno, às tecnologias, à televisão e que continua encantando corações de crianças e adultos. Uma chance de entender os bastidores dos artistas que fazem rir como vocação: o trabalho envolvido na montagem da lona, na escolha do terreno, do repertório, no acertar o tempo da piada. O trabalho de revelar o nosso lado mais errado, as duzentas mil maneiras de fracassar, o lado frágil da criatura humana. O palhaço revela, denuncia, acusa, cura.

Um dos depoimentos mais cativantes, para mim, foi a frase que recomendava que os palhaços fossem como jardineiros de suas artes; não como os arquitetos. Afinal, o jardineiro precisa cultivar sempre, olhar bem de perto, arrancar as ervas daninhas uma vez mais, regar, improvisar diante das intempéries. E o filme traz farto material pra gente se orgulhar dos nossos jardineiros!

[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=h8fTQVPv0Pg%5B/embedyt%5D

 

O documentário acompanha o processo de construção do espetáculo de mesmo nome, desde a ideia inicial até o palco, depois da morte de um de seus protagonistas. Domingos Montagner era o galã da Rede Globo, que faleceu em um acidente durante as filmagens de uma série de tevê. Foi a partir desse episódio que muita gente ficou sabendo que a trajetória de Duma no teatro e no circo vinha de longa data. Ali ele também era um galã, mas um galã-palhaço todo especial: aquele que faz dupla com um outro palhaço, o atrapalhado Fernando Sampaio. Branco e augusto, na tradição circense. Sem um deles, como o show poderia continuar?

 

 

Com direção de Chico Gomes, Julio Hey, Luiza Villaça e Pedro Moscalcoff, o filme traz o texto e a adaptação da peça “PAGLIACCI”, de Luís Alberto de Abreu – um de nossos grandes dramaturgos vivos, ativos e criativos!

A trilha sonora original de Marcelo Pellegrini nos envolve, nos embala e, ao final, nos emociona, irremediavelmente.

Estão lá os parceiros de uma vida, de um sonho: Luciana Lima e Fernando Sampaio, Fernando Paz, Keila Bueno, Chico Pelúcio. Estão também os mestres, como Roger Avanzi. E ainda Alexandre Roit, Alice Viveiros de Castro, Carla Candiotto, Cesar Guimarães, Claudio Carneiro, Erica Stoppel, Fernando Cavarozzi, Filipe Bregantim, Marcelo Lujan, Teófanes da Silveira e Verônica Tamaoki. Três vivas à arte que resiste!