Lembram-se que andei falando, cansativamente, sobre #afrobetizar a educação? Indiquei aqui projetos como o Identidade, cursos da cultura afrobrasileira e até mestrado para professores neste sentido. Perguntei: quantos professores negros você teve?

E continuo tocando neste tema importante, a representatividade. Acompanhando também. Foi assim que soube que os alunos da Escola Estadual prof Isabel Vieira de Serpa e Paiva realizaram a feira cultural Africanidades para mostrar as influências africanas no esporte, na cultura e religião do povo brasileiro.

https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2FEducaSP%2Fvideos%2Fvb.300104286746572%2F1282417345181923%2F%3Ftype%3D3&show_text=0&width=560

Para promover o cumprimento da Lei 10.639/03 e reforçar a presença de África nas instituições de ensino, a Coleção Afreaka será distribuída gratuitamente em 1800 escolas públicas de 240 cidades de São Paulo.

A coleção é composta de:

  • Volume 1 – Mídia, Literatura, Arte, Grandes Impérios e Identidade
  • Volume 2 – Línguas, Autenticidade, Sustentabilidade, Tecnologia e Filosofia
  • Volume 3 – Grafite, Sociedades Tradicionais, Música, Dança e Grandes Cidades
  • Volume 4 – África nas Escolas – sugestão de atividades e exercícios para a sala de aula.

O objetivo é que as publicações possam servir como uma fonte de conhecimento didático sobre as sociedades africanas, suas culturas e formas de expressões artísticas atuais!

revista-afreaka-sobre-cultura-africana

No lançamento do projeto, ontem, participaram de uma mesa redonda o antropólogo congolês Kabengele Munanga e o historiador maliano Mahfouz Ag Adnane.

Que bonito, Sam, mas como não tem almoço grátis, quem paga este volume de material impresso “gratuito”?

Segundo li, a coleção foi contemplada pelo Edital Proac Publicações Culturais da Secretaria de Cultura. A distribuição e divulgação da revista será feito em parceria com a Secretaria Estadual de Educação de São Paulo, Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, Fundação Rosa Luxemburgo e Baobá Comunicação e Cultura.

😉

(sim, estamos de olho sempre!)

Deixo aqui a dica para quem tem vontade de levar este conteúdo para sua escola, bairro, igreja, comunidade. E, claro, quem sabe se ele inspira outros projetos similares?

https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fsiteafreaka%2Fposts%2F1291699240909760%3A0&width=500

O Afreaka é um projeto de mídia alternativa, educação e produção cultural que traz um lado pouco conhecido do continente africano no Brasil, fugindo dos estereótipos como fome, pobreza e passividade, e cobrindo as expressões coletivas e individuais das culturas locais – tendências, música, literatura, arte, culinária, arquitetura etc.

Fundado pela jornalista Flora Pereira e pelo designer Natan Aquino, o projeto teve início em 2012. Quatro anos depois, o Afreaka tem mais de um milhão de acessos e 50 mil seguidores nas redes sociais. A equipe cresceu e o projeto vem experimentando, além da área da comunicação, interlocuções com os campos da educação e da produção cultural, trazendo a África ainda mais pra perto do Brasil.

Veja abaixo alguns conteúdos deles:

Conheça as esculturas de Pau Preto, típicas do sul da Tanzânia e Norte de Moçambique!

https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fsiteafreaka%2Fposts%2F1288880241191660&width=500

Dicas sobre o que se fazer no Senegal!

https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fsiteafreaka%2Fposts%2F1288878694525148&width=500

O romance histórico do jornalista e escritor Abner Laurindo. São 172 páginas de tirar o folego contando a saga da origem da capoeira, da resistência dos negros à escravidão e a formação dos primeiros quilombos.

https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fsiteafreaka%2Fposts%2F1288877854525232&width=500

Feita na África, por africanos e para os africanos – esse era o sonho dos criadores da Bamboo Bikes, uma organização que nasceu em 2009 para pensar em um modelo de transporte sustentável, de alta qualidade e ao mesmo tempo acessível para os trabalhadores rurais de Gana.

https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fsiteafreaka%2Fposts%2F1281365001943184&width=500

Conheça a impressionante arte em areia senegalesa!

https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fsiteafreaka%2Fposts%2F1281361291943555&width=500

Visando facilitar a comunicação e intercâmbio de habilidades e técnicas entre profissionais da emergente indústria musical, nasce o projeto AMDP – African Music Development Programme ou Programa de Desenvolvimento de Musica Africana.

https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fsiteafreaka%2Fposts%2F1281357218610629&width=500

E olha, são um radar para outros locais:

https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fsiteafreaka%2Fposts%2F1288873931192291&width=500

 

Quer saber mais sobre o tal edital?

O ProAC apoia financeiramente projetos artísticos, selecionados por meio de Editais. Diversas expressões culturais são contempladas pelo programa em Editais específicos, entre elas: teatro, dança, música, literatura, circo, artes cênicas para crianças, festivais de arte, audiovisual, museus, diversidade e artes visuais.

Informações podem ser obtidas na Unidade de Fomento e Difusão da Produção Cultural – UFDPC da Secretaria de Estado da Cultura. Rua Mauá, 51 – Sala 205 – 2º andar – Luz – CEP: 01028-900 – São Paulo – SP. Horário de atendimento: 13h às 17h. Fones: (11) 3339-8275 e (11) 3339-8226.