“Gosto de pensar no Natal como um ato de subversão…

– Um menino pobre;

– Uma mãe “solteira”;

– Um pai “adotivo”;

– Quem assiste seu nascimento é a ralé da sociedade (pastores);

– É presenteado por gente “de outras religiões” (magos, astrólogos);

– A “família” tem que fugir e viram refugiados políticos;

– Depois volta e vai viver na periferia;

O resto, a gente celebra na Páscoa… mas com a mesma subversão…

Sim! A revolução virá dos pobres! Só deles pode vir a salvação!

Feliz Natal! 

Feliz subversão!” 

Texto do teólogo José Barbosa Junior, fundador do movimento “Jesus cura Homofobia”.