A amizade não se proclama aos quatro ventos, se vive, nos pequenos e grandes atos de solidariedade, companheirismo e afeto. É quase um movimento involuntário, de tão natural e sincero – por isso mesmo, inimitável e impossível falsificar.

Sou muito feliz por ter amizades antigas que me lembram quem eu queria ser e amizades novas que me dão direção sobre quem eu posso ser. 

🙂

Fiz este post há tempos e esperava postar singelamente no Dia do Amigo. Justamente neste domingo, 20 de julho, adoeci, fui para o hospital e fiquei em repouso, longe do computador para postar. Mas, mesmo atrasada, digo:

Feliz Dia do Amigo para vocês, amigos.

Obrigada por sua companhia diária no blog!