“O exame (conhecido na época como “Screening Neonatal”) veio para o Brasil em 1976 e deu origem à lei que conferiu o direito a todo recém-nascido brasileiro de realizar o Teste do Pezinho, por meio do Programa Nacional de Triagem Neonatal – PNTN. Hoje, toda a criança nascida em território brasileiro tem direito ao Teste do Pezinho Básico, totalmente gratuito. Esses exames são realizados em laboratórios oficiais e credenciados pelo Ministério da Saúde e as coletas de sangue são realizadas nas maternidades públicas ou nos postos de saúde.”

TESTE DO PEZINHO APAE

Antes de ser mãe, confesso, pouco sabia sobre o Teste do Pezinho. Tinha uma vaga noção de que era um exame de prevenção para detectar precocemente vários tipos de doença e que sua divulgação era ligada ao trabalho da APAE. O que descobri depois de ter filhos foi que o teste evita problemas graves que, se não tratados, levam à deficiência intelectual ou causam prejuízos à qualidade de vida da criança. Rápido e seguro, o exame é feito a partir da coleta (ainda na maternidade) de algumas gotinhas de sangue do calcanhar do bebê. O material é então enviado à APAE.

Serviço de Referência em Triagem Neonatal, credenciado pelo Ministério da Saúde no Estado de São Paulo, a APAE é uma Organização da sociedade civil sem fins lucrativos, referência na prevenção e na melhor qualidade de vida da pessoa com Deficiência Intelectual. Pioneiro na implantação do Teste do Pezinho na América Latina, é responsável por 57% dos exames realizados no território paulista e 80% na capital, tudo por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Neste dia 06 de junho a APAE e a Unisert (União Nacional dos Serviços de Referência em Triagem Neonatal) lançaram uma nova campanha de sensibilização nacional para reforçar o Dia Nacional do Teste do Pezinho, em campanha que objetiva informar e conscientizar a população sobre a importância do Teste do Pezinho, incentivando a realização do exame como medida de saúde preventiva.

Recentemente o @avidaquer foi convidado para conhecer o Laboratório APAE de São Paulo. Foi justamente nos dias seguintes ao nascimento da minha filha, quando eu esperava o resultado dos seus exames. Para minha tranquilidade, o material (colhido 48 horas após o nascimento) foi enviado ao laboratório e recebi um protocolo que me permitiu ver o resultado no São Luiz, mas foi o laudo impresso, que chegou em casa 7 dias depois, que me tranquilizou mesmo.

Você conhece os diferentes tipos de teste do pezinho?

  • O Teste do Pezinho Básico é obrigatório por Lei e coberto por todos os planos de saúde. É composto por quatro diagnósticos: Fenilcetonúria; Anemia falciforme e Hemoglobinopatias; Fibrose cística; Hipotireoidismo congênito.
  • O Teste do Pezinho Mais é composto por dez diagnósticos: Fenilcetonúria; Anemia falciforme e Hemoglobinopatias; Fibrose cística; Hipotireoidismo congênito; Toxoplasmose congênita; Hiperplasia Adrenal congênita; Deficiência de Biotinidase; Deficiência de G6PD (Glicose 6-Fosfato-Desidrogenase); Galactosemia; Leucinose.
  • O Teste do Pezinho Super, que faz o diagnóstico de 46 patologias. O teste inclui em seu painel, além das 10 doenças dos Testes Básico e Mais, outros 36 diagnósticos realizados através da avançada tecnologia de Espectometria de Massas.

Quer saber mais e divulgar informações sobre este exame? Veja o manual de instruções do Teste do Pezinho e saiba como proceder para a realização do teste e conheça as principais doenças a serem detectadas.