Desde que o best seller Comer, Rezar e Amar foi lançado eu ouço recomendações de amigas para ler o livro. Confesso que, certa de que acabaria lendo, nem me informei sobre o que ele tratava (#shameonme, I know). Li uma reportagem na semana passada que dava dicas do novo livro de Elizabeth Gilbert e conclui que realmente ia gostar da forma como ela vê o mundo.

Reunindo dicas da nova obra da escritora estadunidense (Committed, a skeptic makes peace with marriage, que chega ao Brasil em agosto com o título Comprometida – Uma história de amor) e de especialistas, os repórteres Ivan Martins e Kátia Mello nos brindam com seis conselhos que podem ajudar a manter um casamento longo e feliz:

  1. Modelo de casamento: fomos educados para acreditar que o casamento é romântico, mas ele não é. O casamento é uma relação de conexão com o parceiro, é educar os filhos juntos, é cuidar um do outro, é ser fiel um ao outro
  2. Passar tempo juntos: priorize seu casamento, tire férias sem os filhos (ou seus pais, ou parentes)  e não se sinta culpado por querer estar a sós com seu cônjuge
  3. Fazer sexo: uma das mais importantes conexões do casamento. Faça o que for necesário para manter a chama acesa – e os especialistas garantem que vale insistir com o parceiro, mesmo que ele não esteja a fim, porque entra numa “inércia positiva”.
  4. Flerte: carinho também é muito importante e vale manter o hábito de andar de mãos dadas e sentar junto no sofá, coisas que se fazia no começo do namoro.
  5. Converse: procure sempre bater papo, sair da conversa rotineira da manutenção do lar e da família (contas, filhos, consertos).
  6. Isolamento ocasional: casais felizes relatam, além dos itens acima, a preocupação em manter seu espaço, seu tempo, seus amigos e seus interesses individuais vivos. Quando se ama a solidão nos faz querer ir ao encontro do outro.

P.S. Dados que impressionam: cerca de 1 milhão de pessoas se casam todos os anos no Brasil – e pouco mais de 250 mil se separam no mesmo período. Mas o IBGE mostra que a quantidade de uniões por 100 mil brasileiros aumenta a cada ano, entre 1998 e 2008 o número de casamentos cresceu 34,8%, superando em 13 pontos porcentuais o crescimento vegetativo da população nessa faixa etária. Os divórcios e as separações, no mesmo período de dez anos, cresceram menos, 33%.